O Champagne que virou Cerveja e encantou o Mundo!

cerveja walls derivada do champagne

O Champagne que virou Cerveja

O Champagne que virou Cerveja! Em uma data especial, o que você bebe para comemorar? Champagne? E se tiver cara de champagne por fora, mas cerveja por dentro? As Bière Brut – ou Bière de Champagne –, preparadas com o mesmo processo do espumante, são opções para quem gosta de cerveja até na hora de “estourar” a rolha.

O método champenoise é o grande diferencial das Brut, que geralmente são armazenadas em garrafas típicas de champagne e lacradas com rolhas. Utilizada na produção de champagne, essa técnica consiste em uma refermentação da bebida na garrafa, com os recipientes armazenados horizontalmente em temperatura controlada. “Após a fermentação normal da bebida, uma nova carga de leveduras e açúcares é adicionada no momento do envase”, conta o mestre cervejeiro da Wäls, Christian Brandt, cervejaria que produz uma das poucas Brut brasileiras.

Claro, não é só fazer isso e a bebida está pronta. Ao longo dos meses – no caso da Wäls Brut, o processo todo leva cerca de um ano – as garrafas passam por pelo menos outras três etapas. Primeiro, é a vez da refermentação na garrafa, por aproximadamente um mês. “As leveduras irão consumir todo o açúcar que foi adicionado no momento do envase e transformá-lo em álcool, gás carbônico e ésteres, criando uma carbonatação e aromas naturais provenientes da fermentação”.

O processo seguinte é a maturação na garrafa. Após refermentar, a cerveja passará por um processo de autólise e envelhecimento durante aproximadamente 11 meses. Segundo Brandt, isso aperfeiçoará seus aromas e fará a bebida adquirir características típicas. Além disso, ao longo desse período é necessário que seja feita a Remuage. “Consiste basicamente em girar todas as garrafas diariamente para evitar que a levedura se deposite nas paredes”, explica. O último processo é o Degorgement, a finalização, quando se retira as leveduras do interior do recipiente e se arremata a cerveja.

cervejeiros_champenoise - foto 1 (Foto: Divulgação)

Até bolhinhas na cerveja

Quando se opta pelo processo de champenoise, a cerveja ganhará novos elementos sensoriais. “É esperado que a cerveja adquira uma acidez característica dos champagnes, a formação do perlage (formação de pequenas bolhas que sobem até a superfície do copo), aromas típicos da autólise e envelhecimento, e a clarificação natural do produto”, comenta o mestre cervejeiro.

Apesar de muitos dos exemplares de Bruts serem cervejas claras, como a própria Wäls Brut e a mais clássica das Bière Brut, a belga DeuS, existem também versões escuras como a Malheur Dark Brut, também da Bélgica.

Fonte: G1

Veja Também:

Trem da Cerveja! Preparem os cintos e as canecas

O que é mais Chique Vinho ou Cerveja? Veja o que os cientistas disseram

Drinques Esquecidos! Saiba quais as bebidas que ninguém pede mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *